28 março 2009

Tempos

Tantos são os medos que se apoderam da tua alma, certezas que deixaram de ser...
Esperas, tempos, medos, brilhos, desejos de menino sofrido, homem magoado...
Nas tuas mãos sinto o suor da angustia pela verdade dos sentimentos, no brilho dos teus olhos o desejo de mesmo que ultimo, exista mais um beijo, um toque aqui e ali, e permaneces em silêncio, contado histórias...que te confundem, te aliciam, te puxam para um lado e para o outro, e aninhas-te perante o medo de sofrer...perante a dor da ausência...mas sabes que a minha loucura, a minha maneira de ser, o meu sorriso simplesmente te encantam...e pensas só mais um segundo, na minha boca cravada de desejo no teu corpo, as minhas mãos no teu rosto, o toque do meu ser no teu...são delicia...brilho de menina-mulher, sorriso maroto...simplesmente viva, simplesmente minha e tua...
em tempos nossos, em tempos de ninguém, em tempos que são de toda a gente...

12 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Escapados do tempo somos mais.
Cadinho RoCo

Luis F disse...

Gostei de ler...

Os meus parabéns pelo texto e pela forma como a escrita desliza e envolve.

Saudações
Luis

EU SOU NEGUINHA disse...

Adoro este cantinho teu,pura poesia
Beijos da Nega

JC disse...

Gosto sempre de vir ao teu blog. Sempre bons e belos textos.
Beijinhos

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

Me permita disse...

Oi, meu bem! Teus tópicos como sempre: belas imagens, belos textos! Teu texto, não sei por que, me lembrou uma música de chico buarque:

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca quando me beija a boca
A minha pele toda fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh'alma se sentir beijada

Que rouba os meus sentidos,
viola os meus ouvidos
Com tantos segredos lindos e indecentes
Depois brinca comigo, ri do meu umbigo
E me crava os dentes
Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
De me deixar maluca quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba mal feita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas

Quando ele se deita
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
De me fazer rodeios, de me beijar os seios
Me beijar o ventre e me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo como se o meu corpo
Fosse a sua casa


Beijos e cheiros!

{Nanda}_A disse...

Que delicia de texto...
um tempo meu e seu...
como é maravilhoso esta outra perspectiva de tempo e espaço...
Como é delicioso apenas... viver... intensamente... deliciosamente....

perfeito!

beijos no coraçao
P.S.: perdoe-me a ausencia esta semana...correria...

meus instantes e momentos disse...

quem tem que viver nossos tempos somos nós
Tenha um belo domingo.
Maurizio

DESIRE disse...

Tenho imensa dificuldade em aqui comentar, pois o sistema bloqueia-me e raramente o consigo!
Mas...tento! E tentarei sempre, pois adoro este blog!
Beijos prometidos

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Queremos presentear seu blog com um selo que cultiva o amor.

Espero que goste!

=]

Rebeca

-

Palma da Mão disse...

Obrigada lindos.
Sem vocês , grande parte disto, deste mundo nosso, em que se constroiem pontes, empatias, amizades, afinidades entre almas, não faria grande sentido, poder partilhar convosco os meus desejos, as minhas questões, as minhas fantasias, o repeito pelos outros e o maor pela minha filha é para mim uma honra.
Vou ver o que se passa com os comentários, e o porquê de em alguns casos parecer bloquear:(
E Vou ver o selinho Rebeca, já gosto e ainda nem vi:)
Obrigada mais uma vez, por todos, fazerem já parte da minha vida
Beijinhos

Palma da Mão disse...

Me permita, e me permitam, que ao Arthur agradeça com aquele abraço, aquele beijo, aquele sorriso que é meu e do mundo.
Meu querido, obrigada por estares aqui...
Beijinhos mil