24 maio 2009

Silêncio

Quando o silêncio é imperativo e conhecemos algo mais dentro de nós, não é longo o percurso necessário, nem demais o tempo de ausência, isto é a minha casa sim, aqui vejo-me e revejo-me ao espelho, ajeito o cabelo, espero a noite para conversar comigo mesma, e saber que por vezes nem tudo é o que queremos, como queremos...é para nós todos que vivemos...é por nós todos que escrevemos...o sonho existe para nós...e por muito que queira deixar de saber escrever, as palavras são donas de mim, e das minhas vontades, por muito que as tente prender num baú e esquecer-me delas , deixando-as à mercê do vento, é mais forte do que eu...preciso de escrever, para Ti, para mim, para todos nós...trata-se de evolução...

A imagem é um trabalho que amo de paixão de Luís Royo, a que chamou de evolução, penso que talvez seja isso, parar, ver por dentro, organizar e prosseguir...escrevo sentimentos e é deles que vivo...

2 comentários:

Nanda disse...

Oba!!!!!!!!!!!!

que bom que voltaste!!!


beijos no coração

Palma da Mão disse...

Brigada querida:)
Beijinhos